sábado, 31 de dezembro de 2016

Maria Emilia B. Teixeira


Feliz Ano Novo!
Feliz 2017!
Estamos nesse mundo para aprender algo... E nenhum mortal está livre disso. É muito bom estar neste barco da vida e sentir todas as sensações... Sejam elas boas ou ruins, pois elas fazem parte desse itinerário humano, balançando nossos medos e certezas com suas ondas de um lado para o outro e mostrando o quanto somos vulneráveis fora do prumo.
A vida sempre terá uma nova abordagem e está esperando constantemente a nossa resposta que seja de preferência com uma atitude positiva diante dela sem questionamentos e olhando para frente. É difícil, mas é assim o mar da vida.
A maturidade das emoções nos dá uma bagagem extra para encarar as ondas que podem até nos derrubar, mas ao tocar o chão a gente se levanta e lembra que estar vivo é uma benção. Sempre vamos precisar de pessoas especiais que nos sinalizem que a vida é bela, e caso essas nos faltem que a gente procure não ser uma âncora na vida de ninguém, que tenhamos a maturidade de sermos como o balão sinalizador mostrando que tem momentos que são nossos e de mais ninguém e que no nosso monólogo interior a gente tente se resolver sozinho e no nosso tempo de crescimento... São passagens de fases.
Acredito que na realidade estamos em busca de nós mesmos de autoconhecimento que nunca termina. Acontecimento belo do florescer em nossas primaveras.
Aproveitemos essa viagem, pois a paisagem é linda de viver.
Seja bem vindo 2017!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

domingo, 18 de dezembro de 2016

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Maria Emilia B. Teixeira




A beleza logo de cara pode até impressionar por um tempo, porém ela desvendada aos poucos nas atitudes é a que realmente é extremamente bela.

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Maria Emilia B. Teixeira


Senta ao meu lado e venha escutar o meu silêncio... E enquanto o meu coração bater eu não desisto da gente.
Preciso de você aqui no meu presente.
No seu abraço sinto a reciprocidade nos seus batimentos acelerados.
Senta ao meu lado e vamos viver no agora os nossos momentos.
As pupilas dilatam, conversa de quem se ama e se entrega.
Depois vamos tomar um café que a nossa amiga insônia adora quem faz companhia para ela.
Aqui dentro de nós a conversa é sempre intensa e sem hora para acabar.

domingo, 23 de outubro de 2016

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Maria Emilia B. Teixeira


Ando preferindo os livros, pois eles se abrem e me proporcionam o conhecimento sobre eles. Já as pessoas... Essas se fecham cada vez mais com medo de serem reveladas na sua real verdade.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Maria Emilia B. Teixeira

Afinidade é estar a fim de ficarem juntos independentemente de qualquer obstáculo e preconceito.
Quem enxerga por fora não tem conhecimento da história bonita que está dentro do peito de quem ama corajosamente.

domingo, 2 de outubro de 2016

Maria Emilia B.Teixeira


O casal que vive de aparências, são aparentemente feliz.
Quem se apega a sua gaiola, não conseguiu perceber que ela desde o início estava aberta para ambos cantar e buscar a sua felicidade.
Está nas suas mãos a decisão para ficar ou partir de uma relação.
Viver infeliz e ter que conviver com o sonho da liberdade... O que era para ser, perdeu significado.
As asas crescendo junto com os problemas e te prendendo a quem não faz mais par contigo a muito tempo..
Ser ímpar é ruim, mas ser par com a pessoa errada, é desnecessário.
Quando a soma não é exata, perde-se muito tempo...
Coragem! Arranque as asas se for preciso e caminhe com os próprios pés para fora da gaiola e não se importe com opiniões alheia, pois quem opina não admite que tem a vontade de fazer o mesmo em sua vida. Mas preferem o comodismo e as aparências.
A gente nasceu para ser feliz e ponto final.
Troque suas asas por mala de viagem e recomece sempre que for preciso.


sábado, 1 de outubro de 2016

Maria Emilia B.Teixeira


Vou morar dentro de um livro... Talvez eu consiga encontrar dentro dele o que procuro em algumas pessoas... Aqui fora, o que tinha valor há muito se perdeu e poucos percebem... Triste realidade.


quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Maria Emilia B. Teixeira

Tive que sair de mim, queria me ver... Bati a porta e fiquei face a face a me observar. A conclusão que cheguei é que o tempo está passando lentamente...
Apenas com um pouco de receio que eu não viva a saudade  daquilo que não vivi.
Eu insisto e não desisto no tempo das esperas e acredito em seu vento que trará alguns presentes para mim...
Intuição boa... É o que eu sinto...
Tempo de Deus...
Sem falsa modéstia , admiro essa baita mulher que vejo. O tempo é generoso com ela.
Ela tem na sua essência a liberdade de ser quem é.
Pelo respeito e empatia que ela tem com a história alheia, faz amigos verdadeiros.
Respeita para haver a reciprocidade.
Errou feio em algumas escolhas, mas sempre foi ela mesma. A culpa não é dela, nunca é de quem se doa e sim de quem não consegue sentir certas essências humana.
Ela mergulha fundo em tudo que confia e acredita sem medo de se machucar, pois sabe segurar a sua onda em caso de ressaca do mar da vida.
Coração aberto,  intensa e um par de asas na alma, elegantemente ela carrega a sua história.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Maria Emilia B. Teixeira


Como uma criança quando apanha ficando no canto da parede se espremendo e com dor, esse coração há muito tempo evitava sentir de novo o abandono... Inevitável realidade de quem sai da zona do conforto e se arrisca na área do sentimento.
Dói na pele... Na pele de dentro.

Maria Emilia B.Teixeira


Não me cobrem atitudes e presença.
Às vezes  eu me ausento  de mim, para poder  suportar  a ruptura de alguns alinhavos antigos nesse tecido humano que sou.
Tem horas que o cansaço vem me visitar com aquela lista enorme de reflexões e a vida continua seguindo na sua louca locomotiva, sem dia e sem horário para parar.
Haverá as pausas mas sem perder a locomovida.


sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Maria Emilia B. Teixeira

Mudanças mudam velhas certezas e nos tiram de um cenário onde o comodismo e o medo fazem pano de fundo de uma peça de teatro real, impedindo o nosso crescimento.
Perdas e ganhos são necessários...
Representação dura e crua da nossa realidade.
Somos  atores do tempo...  Passado e presente.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Maria Emilia B. Teixeira


Filosofar para entender os contrários e sobreviver ao cotidiano diário muitas das vezes inexplicável e pouco aceitável.
Onde seu tudo não representa nada nesse admirável mundo estranho.

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Maria Emilia B. Teixeira



De setembro em setembro vou colhendo uma flor.
11 de setembro, é a data desse encontro marcado.
Com o tempo... Não se diz mais a nossa idade.

Maria Emilia B. Teixeira

Nós dois

Pode ficar em mim, que eu ficarei em você.
Mas caminhe devagar pelo lado esquerdo do meu peito, pois ali se encontra um coração delicado e não quero ter receio que ele caia de novo desse lugar onde escondi e você achou devido a um encontro marcado pelo tempo... Surpresa boa!
Sabemos um do outro, e o seu também me fez confidências...Suas vivências.
Ambos iguais diante do espelho.
Gentilezas para cuidar um do outro e deixar acontecer o que tiver de ser.

Maria Emilia B. Teixeira


Ombro é lugar de aconchego e lugar de solidarizar.
Ombro dá quem sabe se doar e dividir o peso da dor.
Ser mais que um amigo... É ser genuinamente humano.


sábado, 3 de setembro de 2016

Maria Emilia B. Teixeira


Foi conversando com o silêncio que aprendi a não falar nada para ninguém.
Não abro o meu coração para quem não sabe interpretar a leitura de sentimentos.

Maria Emilia B. Teixeira


Quem sabe ler, um pingo é texto.
Bastou apenas um pingo para borrar o seu papel... Na minha história.



Maria Emilia B. Teixeira


No buquê da vida, trago as primaveras nem sempre florida de algumas de suas estações... Mas elas foram necessárias para que um botão de esperança virasse flor.
Essa é a ordem da natureza e da vida.

domingo, 28 de agosto de 2016

Maria Emilia B. Teixeira


Amor próprio tem sua própria propriedade, ele não pede para morar em um coração que o rejeita, pois se orgulha de quem o carrega em seu peito, procurando afinidade com quem sente o mesmo.

Maria Emilia B. Teixeira


Entre minhas letras encontrarás uma madura mulher com verde alma de uma menina.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

quinta-feira, 21 de julho de 2016

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Maria Emilia B. Teixeira

Um alguém especial

Aqueles nossos olhares que cruzaram nossas vidas... Não houve tempo para esperas... Ficamos envolvidos em uma química de corações totalmente despidos.

domingo, 19 de junho de 2016

Maria Emilia B. Teixeira


Na vida a gente realmente dança conforme a música... Gosto de Rock, motivo pela qual ela está sempre agitada.
Não aumenta o som, porque isso aqui é vida real.

terça-feira, 7 de junho de 2016

Maria Emilia B. Teixeira


Ninguém passa impune ao julgar a vida alheia.
Aquilo que você não quer para si, não se observa ou faz julgamentos...
Pois a vida pode te colocar em um quadro semelhante  ao qual pintastes dos outros.
Esse será o fruto da sua obra.
Aprenda que existe sempre algo por trás dos fatos e pessoas.
Cuide para que ao deitar a cabeça no travesseiro da consciência não tenhas um número à mais de carneiros para contar impedindo que durmas em paz
e tranqüilamente.
Cuidar da própria vida esse é o único dever que temos.

Maria Emília B. Teixeira


Uma família não sobrevive de sobrenome, ela vive de raízes, tradições e valores.
Uma família não sobrevive com membros egoístas e que não se respeitam, ela vive de afeto, amor e respeito as diferenças.
Uma família não sobrevive em terrenos áridos e gelados de sentimentos, ela vive de reciprocidade e empatias.
O verdadeiro sentido de uma família está acima de qualquer valor material.
Ela resiste as distâncias de quem precisou alçar novos vôos.
E recebe com festa os que regressam para pousar na árvore mãe.