sábado, 29 de novembro de 2014

Maria Emilia


Não espere o mundo bater nas suas costas para te explicar as voltas que ele precisa fazer.
Às vezes um pé no chão evita muitos tombos.
Ele não gira em torno de nós.
Ele gira para esbarrar nos medos, nas certezas... Somente para movimentar o enfrentamento aos desafios do cotidiano.
Coloque uma saia rodada ou outro traje qualquer.
Vire-se, encare-o de frente e acompanhe a sua rotação.
Quem sabe bem lá na frente... Conseguiremos agradecer.
Ao invés de reclamar.

Maria Emilia


A chave do nosso valor está no nosso porta joias.

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Maria Emilia


Em um bater de porta, ela também bateu as asas... E viajando para o seu mundo... Se encontrou.

Maria Emilia

Existem pessoas difíceis, que se formos analisá-las com o tempo, no fundo percebemos que elas são legais e que tem algo de bom nelas. Mas tem outros casos em que no fundo de algumas pessoas não se encontra nada.... Nem elas próprias, viraram território de qualquer coisa oca.

sábado, 22 de novembro de 2014

Maria Emilia


Não sou dona de casa... Agora sou dona do meu mundo.
Correndo atrás do relógio acelerado que antes eu estava parada no tempo.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Maria Emilia


O tecido da minha alma é transparente, portanto vai ser muito difícil alguém me ver estampando falsas aparências nesse tecido personalizado que eu sou.

domingo, 2 de novembro de 2014

Maria Emilia


Não repare os meus cabelos, adivinhe meus pensamentos.
Não repare minhas roupas, pense que dentro delas tem gente.
Não repare meu perfume, sua fragrância é a minha presença.
Não repare meu falar, meu sotaque é carioca da gema.
Não repare meu caminhar, elegância vem de berço.
Uma coisa eu te peço. Repare-me bem devagar... Mas somente nas minhas entrelinhas...