domingo, 27 de maio de 2012

Maria Emilia B. Teixeira



O opinante

Essa história de “Se eu fosse você”.
Tomaria essa ou aquela atitude em relação a isso ou aquilo.
É muito fácil falar.
Na verdade quem está do outro lado da história... O opinante Projeta-se no outro que está tentando mexer suas peças no jogo da sua vida.
Como ele mesmo o opinante não teve a coragem de fazer suas escolhas e tomar suas decisões.
E correr o risco de pagar o preço.
Porque existe esse lado da moeda.
Ele tenta virar o seu jogo (virtualmente) no tabuleiro da história do outro.
O opinante pode está vivendo a mesma situação.
Opina e sugere mexer uma peça, mas no seu tabuleiro jamais ele moveria essa peça.
Ou por medo ou para ficar na zona de conforto.
É sua forma ilusória e covarde de tomar a sua atitude no tabuleiro do outro.
O opinante se esquece que a conquista é de quem, independente do resultado final, ousou mover a peça e fazer uma jogada diferente e até arriscada.
Isso exige coragem, fibra e personalidade. Viver é correr riscos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário.