segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Maria Emilia B. Teixeira


A vida é uma troca de cadeiras, se não correr em busca do seu lugar, perde a voz e a oportunidade.
A vida é um poema com algumas palavras que não existem no dicionário, pois quando estamos diante de alguns imprevistos, tentamos arranjar palavras para definir o que estamos sentindo e esses ultrapassam os nossos limites de compreensão do que ela nos impõe... Isso machuca a alma.
A vida é cantora que às vezes desafina e outras vezes canta bonito para a gente não desanimar, mas se acostume, ela tem a hora certa para se calar, então dance de qualquer jeito.
A vida te ensina a andar quando te obriga a decidir suas próprias questões e quem tem medo não conhecerá o que poderia vir a ser. Coragem!
Perdemos tantos pedaços pelo caminho que a vida se faz de costureira e remenda os seus pedaços com um novo modelo de roupa da vida para que possa sempre recomeçar.
Todos trazemos no coração interrogações sobre ela, mas suas respostas é que devemos seguir em frente, sem questionar.
Então a gente vai vivendo com o coração dentro ou fora do peito na montanha russa que ela é.
Tente viver seus momentos bons do jeito que ela te oferece, pois não existe padrão certo de nada.
Aproveite para não se arrepender do que não fez porque não seguiu o seu coração e foi atrás de gente com coração invejoso e sem coragem.
Vá em frente!
Por que o trem da vida é bala, mas não é de doce, é de rápido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário.