sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Maria Emilia B. Teixeira


Coração às vezes é terra.
Há sementes lançadas que não estão prontas para germinar, elas precisam se transformar...
Porque deixa duro o canteiro de quem deveria pelo menos tentar ver o belo da vida e amar.
Já outras nascem bonitas e sorridentes.
Debruçam-se na janela do olhar.
Ficam espiando a vida... O que transbordou... Era semente típica do lugar.
Quem olha de fora para dentro percebe que em meio a espinhos a rosa é forte.
A beleza vem da luta de quem não desiste de tentar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário.