terça-feira, 20 de setembro de 2016

Maria Emilia B. Teixeira


Como uma criança quando apanha ficando no canto da parede se espremendo e com dor, esse coração há muito tempo evitava sentir de novo o abandono... Inevitável realidade de quem sai da zona do conforto e se arrisca na área do sentimento.
Dói na pele... Na pele de dentro.

4 comentários:

Obrigada pelo seu comentário.