sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Maria Emilia B. Teixeira




Uma vida não é suficiente para você te dizer.
Nem com ajuda de interprete conseguem te entender.
Cada um entende o que bem quiser.
Definem-te.
Mas insisto em me dizer...
Sou feita de sentimentos e ressentimentos.
Nasci humana.
Vesti roupa de criança tendo uma infância bem vivida.
Brinquei muito com bonecas, subi em árvore,corri,joguei bola de gude,andei de bicicleta...
Levei vários tombos, me ralei.
Passei mertiolate e usei band aid.
E beijinho da mamãe e do papai para sarar.
Tudo cura rápido com essa roupa de criança.
O tempo foi passando e me vi.
Vestida de adolescente.
Cheia de sonhos e expectativas
Sonhei muito e realizei pouco.
Época de ilusões.
Com roupa de adolescente o tempo passa muito rápido.
Assustei-me um pouco quando me vi vestida de adulta.
Confiei em pessoas e me ralei de novo.
E parece que com essa roupa de adulto os tombos dói mais.
Porque machuca por dentro... Na alma.
Quem contou e conta as minhas lágrimas é Deus.
Que sabe a quantidade exata.
Da minha alegria.
Da minha tristeza.
Viver é desafio e superação.
Dizem que sou forte com roupa de gente adulta.
Acho que renasci das cinzas.
Mais cautelosa e exigente com a vida.
Decidi que não tenho tempo para perder com pedras brutas.
Quero apenas os diamantes a que tenho direito.
Lapidar pessoas é para Deus.
Já penso na próxima roupa que serei obrigada a vestir.
Que é a da sabedoria...
Pé atrás e olhos bem abertos.
Confesso que não tenho muito o interesse nessa moda.
Tenho que me preparar psicologicamente.
Se eu quiser ficar algum tempo por aqui.
Viver é complicado...
É misterioso.
Maravilhoso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário.